As pequenas marcas de roupas se beneficiam mais com a evolução da paisagem de varejo e consumidor

O design

é uma profissão desafiadora e há muitos designers que iniciam suas carreiras apenas para desistir rapidamente. A maioria dos designers se junta a uma grande marca corporativa para continuar projetando sem o estresse de ser um empreendedor ou os pequenos contracheques que as empresas menores oferecem. As tendências nos canais de varejo e grupos de consumidores, no entanto, estão começando a facilitar a realidade dos designers a tornar seus próprios conceitos uma realidade.

Os maiores obstáculos para iniciar uma marca de roupas e roupas são fabricação e operações. Mesmo que os designers possam encontrar canais de produção, todos os riscos de marketing e venda do produto estão neles se forem independentes.

Isso não parece estar assustador a geração milenar de empreendedores. Um relatório da Casa Branca descobriu que mais de 50 % dos millennials desejam iniciar um negócio. Uma pesquisa diferente constatou que 37 % dos millennials não confiam em grandes marcas de negócios.

Este é o momento perfeito para empreendedores e pequenas empresas capitalizarem atitudes milenares, apresentando suas marcas de nicho de maneiras acessíveis e transparentes. A Bazaarvoice também descobriu que 51 % das decisões de compra da Millennials são influenciadas pelas opiniões de outras pessoas on-line.

Esses pontos de dados indicam que a geração do milênio está procurando marcas menores que foram revisadas ou validadas por seus pares.

Tendências beneficiando pequenas marcas de roupas

Plataformas de criação de design

Mais e mais empresas estão reconhecendo os desafios que vêm com uma indústria em uma indústria como uma marca ou criador independente. Empresas como o Etsy criaram mercados para os artesãos compartilharem seus produtos com o mundo. Esse modelo funciona para indústrias que exigem experiência mínima de fabricação e para os criadores que não se importam em permanecer em escala pequena.

Para aqueles em mais setores intensivos de fabricação, como vestuário, calçados e acessórios funcionais, as plataformas precisam incluir mais do que um mercado. Ryan Kang, CEO e co-fundador da Rooy, uma plataforma de criação de calçados on-line, explica: «Para produzir um design que você precisa para ter ótimos relacionamentos com os fabricantes. Muitas marcas menores não têm a experiência necessária para produzir seus produtos de forma independente. Ao alavancar as redes de fabricação e fornecer uma plataforma de comércio eletrônico para designers, podemos lançar pequenas marcas regularmente. de ganhar participação no cliente milenar. A alavancagem da criatividade do designer ajudou os sites de comércio eletrônico a crescer rapidamente; A chave é fornecer a infraestrutura para os designers escalarem suas idéias.

Compras sociais

À medida que as tecnologias de mídia social se tornam mais integradas aos aplicativos de varejo, o comportamento de compra nunca foi tão sujeito a influência social. Com anúncios em plataformas como Facebook, Snapchat e Instagram, o nível de engajamento social que também aumenta as decisões de compra. As marcas

Começaram a aproveitar o feedback dessas ferramentas para alterar as ofertas de produtos, identificar novos estilos e encontrar novos designers. Kang explica: «Ao crowdsourcing o processo de criação de produtos, as marcas podem criar conteúdo que é adaptado exclusivamente ao seu público. Espaço de produto e estude sua voz. Familiarizar-se com os criadores de formatos em plataformas sociais é uma das melhores maneiras de começar com uma sólida estratégia social.

Dados de varejo alterando o jogo

A indústria da moda está mudando seu foco de dizer aos consumidores o que os produtos estão «em» ou «Out», para procurar real-Dados do tempo que dizem a eles o que mais venderá. O surgimento de empresas de dados especificamente destinado ao setor de varejo de moda, como Editd e WSGN, são exemplos excelentes de quão valiosos dados podem ser ao prever tendências de moda.

Os benefícios dos dados não são apenas para empresas, também ajudam o consumidor. Geoff Watts, fundador da Editd em uma entrevista à Fortune, disse: «Permite que os consumidores sejam mais fluidos com seus gostos e permite que o mercado seja mais eficiente e mais verde». As marcas menores podem aproveitar dados como esse para evitar amarrar os esforços de produção em tendências que provavelmente falharão quando forem para o mercado.

Como as indústrias de moda e design passam por mudanças rápidas devido à tecnologia e mudanças na demanda, é importante que as empresas operem enxuta e estejam prontas para mudanças repentinas no mercado. Para os designers, isso pode significar pular com uma plataforma que ajuda a fazer com que suas idéias sejam comercializadas mais rapidamente. Para as marcas, isso pode significar simplificar o processo de design ou idéias de crowdsourcing de influenciadores sociais.

Conclusão

Que podem permanecer inovadores e seguir as tendências para ganhar imensa participação no consumidor. Os consumidores se beneficiam porque os projetos serão mais adaptados às preferências individuais e mais prontamente disponíveis.

Fashion Studio Photo via Shutterstock 3 Comentários?

Video:Piccoli marchi di abbigliamento beneficiano maggiormente dall’evoluzione del paesaggio al dettaglio e dei consumatori

Ir arriba