Anti-Counter Trend Analysis (ACTA)

Técnica de pesquisa documental inovadora que consiste na recolha e tratamento de bibliografia, preferencialmente de cariz científico, sobre os temas em análise. A utilização desta técnica permite avaliar a profundidade com que a comunidade científica tem realizado produção que suporte e justifique as tendências em análise.

Crisis Unfolding

Explorar, através de desk research, as concretizações notórias de uma crise que faz sentir os seus efeitos nos mais diversos níveis e nas mais variadas áreas da nossa vida.

Rebox

A estruturação global dos efeitos da crise dá lugar a uma análise setorial onde procura identificar-se de que forma as tendências de marketing já identificadas pelo laboratório podem ajudar a compreender e a encontrar soluções para cada um dos setores relevantes para as empresas parceiras.

Gradient Responses

Metodologia que permite definir como podem as soluções encontradas ser adaptadas a cada uma das empresas parceiras do Marketing FutureCast Lab. Em conjunto com as empresas, desenvolve-se trabalho ao nível das estratégias e dos meios mais eficazes para a implementação de novas soluções.

Oriented Desk Research

Pesquisa orientada segundo fases previamente estabelecidas, tendo como objetivo identificar as tendências previstas para o futuro que ditarão os novos padrões comportamentais dos consumidores no mundo virtual.

Método Delphi

Método interativo e sistemático de previsão, no qual peritos do setor e/ou do tema em análise respondem, em diversas rondas, sobre assuntos complexos e incertos, tentando alcançar um conjunto de previsões/antecipações do futuro merecedoras de consenso alargado.

Consensus

Método presencial interativo de participação e decisão assente na aplicação da metodologia ETE (Estimate-Talk-Estimate), na qual um grupo alargado de peritos revê individualmente as suas estimativas em função dos resultados globais.

Judgemental Forecasting

Análise de séries temporais com judgemental inputs de peritos. Baseia-se num questionário online com questões sobre as tendências em análise. Permite a modelização e a mensuração quantitativa da opinião dos profissionais de marketing relativamente aos horizontes temporais em que as tendências terão impacto dominante nas empresas e na sociedade.

Think Tank

Reunião de trabalho com peritos, interativa e sinergética, para dissecar os resultados obtidos em metodologias anteriores. Os especialistas dividem-se em grupos, seguindo o modelo AJIC (Analysis, Justifications, Implications and Consensus).

Analytical Hierarchy Process

Método desenhado para facilitar o processo de tomada de decisão através de dados empíricos, bem como de julgamentos subjetivos do decisor sobre o fenómeno a ser abordado. Engloba três grandes componentes: decomposição do problema, julgamentos comparativos e síntese de prioridades.

Future’s Biography

Procura, através da visão de vários entrevistados conhecedores do tema em análise, identificar o futuro perspetivado por quem conhece a matéria sob distintos pontos de análise. Cada participante é questionado quanto ao objetivo específico desejado, as direções prioritárias mais adequadas para a prossecução dessas metas e, por fim, sobre o tipo de ações que possibilitarão alcançar os objectivos. O enquadramento é completado com a informação das expetativas individuais dos participantes. Feita a análise individual, é realizada uma análise coletiva, onde se procura, se possível, o desejado consenso agregador das várias perspetivas.

Jury of Oppinion

Incluiu a construção de cenários hipotéticos. Estes cenários são apresentados individualmente aos participantes no estudo; com base em cada cenário, é desenhada a Digital Network de cada entrevistado, tendo cada participante sido submetido a questões que visaram auxiliar esse exercício.

Company X-Ray

Esta metodologia compreende dois módulos; no primeiro, apresenta-se um caso de estudo com um exemplo real e bem sucedido da aplicação da tendência. No segundo módulo, é feita uma resenha das respostas obtidas, através de um questionário submetido peritos nas matérias em questão. No âmbito desta metodologia, consultam-se alguns dos principais especialistas num determinado assunto, visando conferir maior robustez metodológica e uma visão mais generalista sobre o estado atual das tendências e a sua evolução no futuro.

Key Informants

Esta metodologia recorre a entrevistas presenciais exploratórias com informadores-chave de cada comunidade, de perfis diferenciados.

Real Time Delphi

Metodologia que evoluiu a partir do método Delphi, mas tirando partido das novas tecnologias para reduzir o tempo necessário para as rondas consecutivas de análise e discussão.

Interactive Think Tank

Reunidas as ideias dos especialistas numa fase metodológica prévia, tanto nas opiniões iniciais como, a seguir, nas discussões geradas, aproveita-se a apresentação deste tema aos membros do advisory board do Marketing FutureCast Lab para convidar quatro especialistas que criaram um think tank interativo, em que peritos externos e elementos das empresas que fazem parte do consórcio têm oportunidade de discutir, de forma aberta, as questões definidas.

Episódios Etnográficos

Acompanhamento de grupos de consumidores no seu ambiente doméstico e no ponto de venda. Visa captar as interações que se estabelecem entre vários sujeitos na escolha e discussão das marcas de produtos e serviços. Permite observar as atitudes e comportamentos dos consumidores face às marcas.

Consumer Shadowing

Metodologia qualitativa que permite perceber, de forma holística, o contexto do consumo e a forma como os consumidores se relacionam com os produtos e serviços num cenário real de compra. Procura-se, desta forma, que o mundo seja visto na perspetiva dos sujeitos que estão a ser estudados.

In Situ Research

Acompanhamento de vários sujeitos (individuais ou grupos sociais) no seu ambiente quotidiano. Permite estudar a adesão e a interação dos consumidores com aquilo que se pretende, em ambiente não profissional e na privacidade do lar, com os investigadores a integrarem-se no dia a dia dos sujeitos.

Netnografia

Método de recolha de informação baseado naquilo que os sujeitos (anónimos ou oppinion makers) publicam na internet sobre o tema em análise. Esta metodologia envolve não apenas os conteúdos publicados mas, também, a cronologia das publicações.

Mobile Ethnography

Metodologia que conta com a participação ativa e voluntária de sujeitos que, durante um período alargado de tempo, utilizam o telemóvel para retratar, através de fotografias e vídeos, as suas atividades quotidianas.

Online and Offline Group Discussions

Em cada sessão, os participantes são convidados a discutir temáticas diversas, procurando motivações e itens de sustentação de cenários futuros e impactos cruzados das tendências em análise. Permite insights sobre eixos de comportamento prospetivo, atitudes, suportes, potenciadores e obstáculos ao desenvolvimento da tendência.

Means-End Chain

Ferramenta concetual que permite a compreensão da forma como os consumidores percecionam e valorizam os resultados da utilização e consumo do produto. A partir de uma rede associativa construída entre atributos concretos e abstratos de um bem, são definidas as respetivas consequências positivas ou negativas (Means) ligadas à utilização dos produtos, até chegar aos valores (End) subjacentes, sejam eles terminais ou instrumentais.

Multicultural Delphi

São reunidos grupos de participantes de diferentes comunidades, aos quais são apresentadas afirmações recolhidas em vídeo em entrevistas prévias com key informants. Estes sujeitos tiveram de reagir às afirmações apresentadas, classificando-as numa escala de concordância, e a seguir gerando uma discussão de clarificação das classificações de cada participante.

Charrete

Método de análise qualitativa que envolve elevado número de sujeitos, divididos em diferentes grupos de trabalho. As sessões devem acontecer em diferentes locais, que possam retratar tão fielmente quanto possível o universo a estudar, sendo em cada uma delas criados diferentes grupos, cada um com temáticas específicas. Só quando surgem desvios ao tema a participação deve ser orientada pelos investigadores.

Judgemental Store Trends

Nas lojas e a visitantes reais são colocadas perguntas abertas para estimular a reflexão e a partilha de opiniões sobre o ambiente de loja e as novas tendências neste campo. Os participantes são ainda expostos a imagens e vídeos sobre os quais devem pronunciar-se. Finalmente, são realizados pequenos questionários sobre as vantagens de cada uma das tendências para a loja, às quais os sujeitos devem responder com uma escala de concordância.

Mock Environment

Método de pesquisa experimental, em ambiente artificial de laboratório. Permite obter dados sobre sobre perceções e atitudes face às tendências de marca em análise.

Consumer Price Lab

As tendências a serem desenvolvidas no estudo junto de consumidores são abordadas através de testes de projeção e associação. Os consumidores são alvo de várias técnicas de inquirição e desenvolvimento projetivo, tendo por vezes, para além da projeção indireta, sido inquiridos diretamente. O estímulo é apresentado em ambiente controlado e aplicado de forma a evitar contaminações.

Brain Monitoring

Visa identificar o potencial de adesão para cada tendência, recolhendo de cada perito a opinião sobre a mesma e confrontando-a com as opiniões expressas por outros peritos. Desenvolve-se de forma evolutiva e em regime build-up.

Análise Morfológica

É uma metodologia utilizada para analisar problemas complexos e desenvolver cenários futuros. Pode ser usada para traçar cenários lógicos e plausíveis a partir das tendências em análise, que permitam maximizar os resultados de vendas e a sustentabilidade a longo prazo. Baseia- se em julgamentos humanos e na consistência interna desses julgamentos.

Future's Wheel

Metodologia de previsão do futuro, utilizada para organizar raciocínios acerca dos desenvolvimentos de uma tendência ou eventos, permitindo interligar e melhor avaliar as consequências primárias, secundárias e terciárias. É uma ferramenta de brainstorming estruturado e sistemático, que coloca o evento no centro, colocando à sua volta, num primeiro nível, as consequências dele diretamente derivadas, num segundo nível as consequências indiretas ou secundárias (derivadas das primárias). Os níveis organizam-se em círculos concêntricos, estando as consequências ligadas entre si.

Consumer Media Lab

Forma de mock environment que, em ambiente controlado de laboratório, procura testar a reação dos consumidores à publicidade e a outras ferramentas de comunicação.

AHP – Analytic Hierarchy Process

Técnica estruturada para lidar com decisões complexas. Em vez de prescrever uma decisão “correcta”, o AHP ajuda os responsáveis pela decisão a encontrar a que melhor se adequa ao seu objetivo e à compreensão do problema. Trata-se de um processo de organização de decisões sobre temas e assuntos com que as pessoas se veem confrontadas, mas que não organizaram ainda conceptualmente.

Árvores Decisionais

Utiliza um gráfico de árvore ou um modelo de decisões e possíveis consequências, incluindo resultados, probabilidades de ocorrência, custos, utilidade ou outros outputs adequados à situação. É um método comummente usado em pesquisa de operações, especificamente na análise de decisão, para ajudar a identificar uma estratégia de maior probabilidade de atingir um determinado objetivo. Trata-se de um meio descritivo para cálculo de probabilidades.

Backcasting

Processo de predizer o futuro baseado na análise de tendências actuais. Começa com a definição da visão de um futuro ideal, olhando-se, depois, para trás, na procura e identificação de políticas e programas que possam relacionar o futuro com o presente.

FutureCast Measurement Index

Adaptação de técnicas prospetivas e de análise de dados para criar um índice personalizado. Os objetivos passam, por um lado, por avaliar a capacidade explicativa de determinadas facetas associadas às tendências estudadas e, por outro, pela determinação de um score/índice preditivo relativamente à intensidade de ocorrência dessas mesmas tendências.

Causal Layered Analysis

Baseia-se no pressuposto de a forma como perspetivamos um problema ou um evento poder condicionar a solução identificada e os protagonistas envolvidos. Na abordagem de cenários futuros, esses cenários devem ser vistos em camadas (layers) e interpretados segundo perspetivas que podem ir desde a análise informal e corrente até interpretações filosóficas. A Causal Layered Analysis é utilizada não tanto para predizer o futuro, mas mais para dissecar e compreender os fenómenos do presente e do passado para criar alternativas futuras.

Causal Looping

Um diagrama de círculos causais é um diagrama de causalidade que tem como função facilitar a visualização das interações entre variáveis ligadas entre si; consiste num conjunto de nós que representam as variáveis, sendo as relações entre variáveis (rotuladas de positivas ou negativas) representadas por setas. A operacionalização da simulação que permite identificar laços causais entre variáveis é realizada com recurso a um simulador e um conjunto de pressupostos que, manejados por equipas e em diferentes períodos temporais, permite conhecer a natureza das relações entre variáveis.

Cross Impact Analysis

Metodologia que parte do princípio de que o impacto e a probabilidade de ocorrência de um evento está diretamente relacionada com a ocorrência de outros eventos. Analisando as correlações existentes, torna-se possível estimar a probabilidade de ocorrência e o respetivo impacto.

Missing Links Levels

Modelização e interpretação de fatores estruturais inerentes a cada uma das tendências analisadas. Visa identificar a perceção dos profissionais de marketing relativamente a variáveis explicativas e variáveis dependentes. As tendências são modelizadas recorrendo à aplicação de redes neuronais.

Industrial Survey

Questionário a uma amostra de profissionais de marketing e vendas para identificar a perceção e atitudes de tendências, analisando o impacto para a rentabilidade. Método multivariado de análise fatorial através de componentes principais a diversos itens relacionados com as tendências.

Consumer Survey

Questionário a uma amostra de consumidores para avaliar a perceção e as atitudes face a tendências, analisando o impacto de cada uma para a satisfação do cliente. Método multivariado de análise fatorial através de componentes principais a diferentes  itens relacionados com as tendências.

Cross Reference

Método desenvolvido especificamente, tendo como base duas fases de desk research e, a seguir, uma fase quantitativa para validação dos dados obtidos.

Fase 1 – Benchmarking internacional

Fase 2 – Caraterização dos consumidores que se pretendia analisar

Fase 3 – Questionário online a partir do qual são filtradas as respostas que estavam, em termos quantitativos, fora do perfil médio do comprador.